Gerenciamento Holístico: Parte 2 – O Contexto Holístico

Post original: janeiro 26, 2019 por Eurico Vianna pelo Podcast Impacto Positivo

A definição de um Contexto Holístico para a vida pessoal ou empreendimento torna possível tomar decisões que beneficiam todas as áreas e pessoas dentro do Todo definido. Dessa forma o Gerenciamento Holístico nos ensina a definir e refinar as prioridades do Todo Sob Gerenciamento. Nos ajuda encontrar problemas ou bloqueios dentro de nossos projetos ou empreendimentos. Por fim, melhora os pontos fracos e cria um sistema de avaliação que melhora o monitoramento e promove o sucesso.

O artigo anterior abordou como definir o Todo Sob Gerenciamento. Esse artigo começa a compartilhar os passos necessários para definirmos o Contexto Holístico que vai reger a desde a Tomada de Decisão até o Manejo Holístico de Pastagens, passando também pelas questões de segurança ecológica e de viabilidade econômica de nosso Todo ou projeto.

Nota: Esse material foi preparado primeiramente para guiar o trabalho que fazemos na Fazenda Bella. Posteriormente, depois de participar de cursos de Gerenciamento Holístico na Austrália e de reutilizar o mesmo material para outros empreendimentos e consultorias, surgiu a ideia de aprimorá-lo para compartilhar com outras pessoas no Brasil. Grande parte desse material, entretanto, é formado por compilações e traduções de outras fontes (originalmente publicadas em inglês). Uma parte menor foi de fato desenvolvida por mim. Apresento todas as fontes usadas na lista de referências ao final do texto.

Eurico Vianna, PhD. Lennox Head, Austrália, Janeiro de 2018.

As pessoas que se propõem a empreender na agricultura regenerativa enfrentam diversos desafios políticos, econômicos e culturais. Dentre as dificuldades causadas por paradigmas culturais podemos citar os 3 mais recorrentes: o complexo de herói, as tendências cognitivas (também conhecidas como tendências de confirmação) e o hábito de colocar os objetivos acima da qualidade de vida (Regrarians, 2017).

  • O complexo de herói, vem da certeza que temos de que é necessário tornar o agronegócio e a sociedade de consumo obsoletos antes que juntos destruam todo o planeta e com ele os seres humanos. A consciência da urgência, então, nos faz sacrificar muitas coisas em prol dessa missão tão digna e necessária.
  • As tendências de confirmação fazem com que tentemos buscar informações que confirmem nossas crenças e descartemos evidências que confirmem conclusões contrárias ou diferentes. Em suma fazem com que ao invés de buscarmos evidências para depois formarmos uma opinião, nós busquemos as evidências que confirmem opiniões formadas à priori.
  • O hábito de colocar os objetivos acima da qualidade de vida é fruto de um dualismo reducionista do modelo de civilização ocidental. Em uma sociedade cada vez mais competitiva e materialista o que conquistamos se tornou mais importante do que como vivemos e isso traz muitas consequências negativas inesperadas.

Em sua genealogia o Gerenciamento Holístico se baseia primordialmente em 4 insights, o primeiro deles sendo o mais importante para a etapa de elaboração de um Contexto Holístico para tomada de decisão (Savory, A. e Butterfield, J. 2000):

1 – Uma perspectiva holística é essencial no gerenciamento. Se baseamos decisões de gestão em qualquer outra perspectiva, nós provavelmente teremos resultados diferentes dos planejados porque só o todo é real.

2 – Os ecossistemas podem ser classificados dentro de um contínuo que vai de não friável até muito friável de acordo com o quão bem a humidade é distribuída e a velocidade que a vegetação morta se decompõe. Nos extremos dessa escala os ecossistemas respondem de maneira diferente a influencias iguais. O descanso, por exemplo, restaura a paisagem em ecossistemas não friáveis, mas causa danos nas paisagens muito friáveis.

3 – Nos ecossistemas friáveis um número relativamente alto de grandes herbívoros em manada, mantidos concentrados e em constante movimento como esses animais se comportam naturalmente na presença de predadores que caçam em grupo, é vital para se manter a saúde das paisagens que pensávamos que eles destruíam.

4 – Em qualquer ecossistema o sobrepastoreio e a compactação pelo pisoteamento praticamente não tem relação com o número de animais. Ao contrário, tem relação com a quantidade de tempo que as plantas e o solo são expostos aos animais.

Savory, A. e Butterfield, J. (2000). Holistic Management: A New Framework for Decision Making. Island Press. EUA. (Tradução livre Eurico Vianna)

Como a natureza opera em todos, o primeiro passo para a tomada de decisão holística é definer um Contexto Holístico. O Contexto Holístico, por sua vez, é formado o por 4 partes: A Declaração de Propósitoa Declaração de Qualidade de Vidaas Formas de Produção e a Futura Base de Recursos. Quando essas partes são articuladas em um conjunto coerente elas formam uma base sólida com um sistema de feedback inerente que nos permite avaliar constantemente se estamos ou não no caminho certo.

A Declaração de Propósito

A Declaração de Propósito deve ser o mais simples e curta possível, mas deve descrever o porquê da existência do seu ‘todo sob gerenciamento’ (sua vida e/ou profissão ou empreendimento). Quando lida, essa declaração deve te lembrar o que te motiva a gerenciar esse ‘todo’. Em outras palavras, sua declaração é a razão ou o “por quê?” o seu Todo existe.

Javan Bernakovitch desenvolveu uma diferenciação desse conceito. Ele trabalha a Declaração de Propósito Destino, sua razão de ser maior, com a Declaração Diária de Propósito, que foca na fraqueza atual do seu Todo (Regrarians, 2017). Particularmente, eu me identifico com essa abordagem pela sua praticidade e funcionalidade e passei a adotar as duas declarações em conjunto.

A elaboração da Declaração de Propósito não deve tomar mais que 20 minutos. Ela também não precisa ser concatenada em um parágrafo coerente. Usar frases soltas é válido nesse estágio. No entanto, essas frases precisam ser escritas no presente (como se já fossem realidade) e devem te inspirar e motivar a tocar seus projetos. A declaração deve cobrir as seguintes áreas da sua vida, projeto ou empreendimento:

  • Bem estar econômico;
  • Relacionamentos;
  • Crescimento e desafio;
  • Propósito e contribuição

Com o uso constante e reavaliação do Contexto Holístico é possível chegarmos a uma declaração mais concisa que ainda cubra todas as áreas necessárias.  Mas inicialmente o foco deve ser em cobrir as 4 áreas citadas acima.

O exemplo de Declaração de Propósito abaixo é de uma empresa que presta serviços de design permacultural na Austrália (Very Edible Gardens – VEG):

A VEG existe para apoiar o desenvolvimento de comunidades, paisagens e estilos de vida saudáveis e abundantes usando por meio do design e da criação de ecossistemas regenerativos que proveem para a vida humana.

A Declaração de Propósito da Fazenda Oito Acres na Austrália é um exemplo simples, porém completo. Ela segue assim:

Nossa função é produzir comida suficiente para nós mesmos e excedente para compartilhar localmente, é desenvolver conhecimento e habilidades para que possamos usar e compartilhar o máximo possível, é prover lucro o suficiente para que não precisemos trabalhar fora da fazenda, é nutrir nossa criatividade, nosso prazer de trabalhar juntos e prazer de estar na natureza.

A Declaração de Qualidade de Vida

A Declaração da Qualidade de Vida é composta por todas as coisas que os tomadores de decisão querem que seja verdade sobre o ‘todo’ que eles gerenciam. Nas palavras de Allan Savory,

A parte da Qualidade de Vida que compõe seu Contexto Holístico expressa as razões pelas quais você faz o que faz, o que você é e no que você quer se transformar. É um reflexo do que melhor te motiva. Essa declaração deve te inspirar. Ela fala de necessidades que você quer satisfazer agora, mas também da missão que você procura cumprir a longo prazo. É o seu senso coletivo do que é importante com suas razões (Holistic Management, p. 71).

Isso é importante porque “os seres humanos vão sempre influenciar qualquer decisão que tomem – mesmo em experimentos controlados rigorosamente – na direção do que eles realmente querem (p.272). A Declaração de Qualidade de Vida da VEG segue assim:

  • Nós somos profissionais, organizados e calmos,
  • Nós temos uma cultura em nosso negócio que é baseada em respeito mútuo, comunicação aberta e complementaridade de diversidade,
  • Nós criamos modos de vida (empregos ou negócios) que são significativos e gratificantes,
  • Nós temos um lucro razoável e a VEG tem um fluxo de caixa saudável,
  • Nós oferecemos uma relação custo-benefício genuína para os nossos clientes,
  • Nós aprendemos e contribuímos constantemente para um entendimento mais amplo da Permacultura,
  • Nós conduzimos o nosso negócio de maneira ética, íntegra e genuína,
  • Nós somos resilientes e nos adaptamos de forma consciente a um futuro de escassez energética.

Já a Declaração de Qualidade de Vida da Fazenda Oito Acres é bem mais sucinta:

  • Nós não temos dívida,
  • Trabalhamos muito pouco fora da fazenda,
  • Temos relacionamentos positivos com vizinhos e a comunidade mais ampla,
  • Nosso trabalho, embora técnico e desafiador, é prazeroso.

Um exemplo de uma Declaração de Qualidade de Vida pessoal (em desenvolvimento) poderia ser algo assim:

  • Sou financeiramente independente e próspero,
  • Eu vivo uma vida feliz e saudável gozando de bom preparo físico,
  • Minha vida em família é prazerosa, harmoniosa e repleta de amor,
  • Tenho laços fortes de amizade em minha comunidade e sou sempre bem amparado pelos meus amigos,
  • Meus projetos profissionais são desafios prazerosos que trazem crescimento constante,
  • Meu exemplo de vida inspira minha família, amigos e comunidade a viverem de maneira harmoniosa, economicamente próspera, socialmente justa e ecologicamente regenerativa.

Outra dica importante dada por Dan Palmer da VEG é priorizar o uso de verbos ao invés de substantivos quando escrevemos nossa Declaração de Propósito. Por exemplo, ao invés de escrever ‘Eu mantenho relacionamentos saudáveis que são respeitosos e íntegros com meus clientes’, seria melhor escrever, ‘Eu me relaciono de maneira respeitosa e integra com meus clientes’. O uso dos verbos, explica Dan, resumem melhor a intenção e são quase sempre melhor fundamentados e diretos ao ponto.

Nesse momento inicial da elaboração do Contexto Holístico mais vale ter algo escrito na direção certa e que pode ser aprimorado com o uso e experiência do que ficar bloqueado tentando escrever declarações perfeitas.

De novo Dan Palmer da VEG dá conselhos e usa técnicas importantes para ajudar no processo. Ele faz as seguintes perguntas aos seus clientes para que eles desenvolvam boas Declarações de Qualidade de Vida:

  • O que você quer que seja verdade sobre o seu envolvimento com _______________ (nome do ‘todo’ sendo gerenciado)? O que você quer desse envolvimento e o que você pode oferecer?
  • Descreva como será o/a  ______________ daqui há 10 anos? O que está acontecendo e como isso faz você se sentir?
  • O que você acha que poderia impedir a/o ____________ de atingir seu maior potencial?

Depois de respondidas essas questões, elas podem ser passadas à limpo em melhores Declarações de Qualidade de Vida. Mas o processo é de aprimoramento constante por meio do uso dessas ferramentas em nossos processos de tomada de decisão.

Na próxima parte abordarei as Formas de Produção (ou Sistemas e Comportamentos) e a Futura Base de Recursos com modelos de Contexto Holístico desenvolvidos durante o curso de Agricultura Regenerativa na Escola de Permacultura

Referências:

Nota: Compartilho desde esse primeiro artigo a bibliografia comentada que norteia toda a série.

Very Edible Gardens (VEG) – a VEG é uma empresa de consultoria e educação permacultural australiana que se tornou referência na área. Dan Palmer e Adam Grubb escrevem frequentemente sobre como melhorar o uso da Permacultura para projetar um futuro de escassez energética onde todos possam viver em abundância.

  • Bernakevitch, J.  (2017 – 2018) Módulo de Formulação de um Contexto Holístico para Tomada Decisão Holistica no REX® Online Farm Planning Program produzido pela plataforma Regrarians.

Plataforma Regrarians foi criada por Darren J. Doherty integrando o Gerenciamento Holístico e outras modalidades de desenho ecológico à Escala de Permanência da Linha Chave; metodologia de planejamento de propriedades rurais criada pelo australiano P. A. Yeomans. A praticidade, profundidade e eficiência na restauração de áreas degradadas tem feito da Plataforma Regrarians uma das abordagens de planejamento de propriedades rurais que mais cresce no mundo hoje.

O Instituto de Gerenciamento Holístico do Canadá tem uma gama enorme de recursos para o ensino/aprendizagem dessa plataforma. O Instituto tem ajudado muitos produtores rurais no Canadá e fomentado muito o estudo a aplicação do Gerenciamento Holístico por meio de cursos e simpósios.

Liz e seu marido Pete criaram e tocam juntos uma fazenda de 258 acres com empreendimentos que variam do gado para corte e leite, galinhas caipiras para produção de ovos até produtos apiários. O site Eigth Acres foi criado para comercializarem seus produtos e compartilhar as ferramentas que tem usado com sucesso para gerenciar seus empreendimentos.

Alberto Miguel é o único consultor em Gerenciamento Holístico oficialmente credenciado no Brasil. Seu blog é uma fonte riquíssima de conteúdo no assunto.

  • Savory, A. e Butterfield, J. (1999). Holistic Management: a new framework for decision making. Island Press, CA-EUA.

O Manual do Gerenciamento Holístico escrito por Allan Savory e sua esposa Jody Butterfild é o livro que lança essa plataforma de tomada de decisão. Comumente em cursos, dada a quantidade enorme de informações compartilhada, esse livro vem acompanhado do livro ‘Manual Prático’ e de um fichário com instruções para exercícios e o aprendizado do Gerenciamento Holístico de Pastagens.

A Plataforma Regrarians foi criada por Darren Doherty, designer regenerativo que começou sua carreira na Permacultura como aluno do co-criador, Bill Mollison. Darren passou a usar o método de planejamento Linha Chave (Keyline), desenvolvido pelo Australiano P. A. Yeomans, com algumas alterações. O Planejamento de Linha Chave da forma como é ensinado por Darren e sua equipe dentro da plataforma Regrarians está se tornando rapidamente o método mais utilizado por designers para o planejamento de fazendas no mundo todo.

O conceito foi desenvolvido por Ethan Roland e Gregory Landua para facilitar o entendimento das várias relações econômicas nas quais nos envolvemos e fazemos parte. As 8 Formas de Capital enumeram “todos os diferentes recursos valiosos que um indivíduo ou entidade podem reunir ou trocar” e tem sido usados largamente em cursos de Permacultura para trazer a realização de que se nos falta um tipo de capital, nós provavelmente temos outros com os quais podemos contar para o desenvolvimento de nossos projetos.Cat

Acompanhe o trabalho do Eurico Vianna por aqui:
Stitcher ou iTunes. Entrevistas e artigos * Vídeo no You Tube Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *